sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Caio Ribeiro vira comentarista nº 1 e Falcão deve deixar Globo

OBS: Falcão, cara simpático, coerente e representante do falecido futebol-arte (substituído pelo futebol-negócio, também chamado de futebol-espetáculo) vai ser trocado por esse pirralho insosso (só que menos chato que o arroz-de-festa Thiago Leifert) a pedido do ancião Galvão, esse sim, já deveria ter ido há muito tempo.

Pena que ainda não pensaram em ejetar o histérico narrador de futebol, vitima de uma campanha que teve seu efeito invertido, já que Galvão é queridíssimo na empresa onde trabalha.

Mas quem substituirá a "rainha" da histeria futebolística?

Galvão, porque non te callas?

Caio Ribeiro vira comentarista nº 1 e Falcão deve deixar Globo

FOLHA DE SÃO PAULO - 09/02/2011 - 07h36 - Keila Jimenez

A Globo está realinhando narradores e comentaristas esportivos.

O ex-jogador Paulo Roberto Falcão deve deixar o canal em breve, já que seu contrato de comentarista de futebol com a Globo vence neste ano e não deve ser renovado.

Fontes do mercado dizem que Falcão pretende voltar a ser técnico de futebol e, por isso, vai deixar a TV.

Outra mudança envolve a dupla Galvão Bueno (narrador) e Casagrande (comentarista).

O narrador expressa há tempos a vontade de trabalhar mais com o comentarista Caio Ribeiro.

Com a troca, Caio deve virar o comentarista número um da emissora, atuando nas transmissões das grandes decisões e nos jogos da seleção brasileira.

Procurada, a Globo, via assessoria, não ligou de volta.

A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Keila Jimenez e publicada na Folha desta quarta-feira (9). A íntegra da coluna está disponível para assinantes do jornal e do UOL.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Alexandre Figueiredo: copa de 2014 fez governo cortar verbas para concursos públicos

OBS: Eu já estava fulo da vida com a realização desta copa inútil que nada trará de bom para o país além de um enorme Cavalo de Tróia, que são essas obras todas, que parecem maravilhosas de início mas poderão mostrar-se perversas ao desligar dos holofotes, em 2015.

O povo todo está iludido com o evento maior de seu ópio maior que, hipnotizado com a transformação provisória do país, não consegue raciocinar sobre os (poucos)prós e os (muitos)contras da realização do mega-evento.

Pelo menos quem esperava conquistar a estabilidade profissional através dos concursos públicos já sofre as consequências da onerosa realização, bem antes mesmo do evento começar.

Realizar essa copa foi um grande ato de irresponsabilidade de nossas autoridades e um caríssimo preço será pago por isso em 2015. Como a corda arrebenta sempre para o lado do mais fraco, será a população, já bastante sofrida, que pagará esse preço. Não se sabe ainda como.

COPA DE 2014 FEZ GOVERNO CORTAR VERBAS PARA CONCURSOS PÚBLICOS

Por Alexandre Figueiredo

A vitória (roubada) da seleção brasileira de futebol na copa do mundo de 2002 foi algo pior do que se pensava.

Não bastasse aquela copa do mundo artificial, que mais parecia um videogame privativo do sr. Ricardo Teixeira, com aquelas partidas frouxas e todas parecidas como se seguissem um mesmo roteiro, previamente estabelecido pelos "cartolas" da FIFA.

Em 2002, os verdadeiros grandes times tiveram que "jogar pior" para abrir caminho para uma seleção brasileira despreparada, sem coesão, sem jogadas seguras nem competentes, que só ganhou as partidas mais pelas brechas tendenciosas dos adversários do que de qualquer esforço natural de jogada.

O jogo Brasil X Inglaterra foi sintomático. A seleção inglesa tinha tudo para ganhar o jogo. Foi orientada a não ganhar, a "jogar mal" no segundo tempo. Aquela vitória da seleção brasileira, nem de longe foi a do povo brasileiro, mas a vitória do PiG, dos "cartolas", das oligarquias, do latifúndio, das multinacionais instaladas no país, dos politiqueiros.

Taí, agora quem paga a festa são os brasileiros. Revelou-se que os cortes de R$ 50 bilhões no orçamento da União, anunciados pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que atingirão os concursos públicos, inclusive nomeações de vários aprovados, não afetarão os investimentos para a Copa de 2014 e, da mesma forma, para os preparativos para as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016.

Trata-se de uma péssima notícia, que transformará o país numa gigantesca comédia de erros. Afinal, foi por causa do "jeitinho brasileiro" do penta de 2002 que o Brasil foi escolhido sede para a copa do mundo de 2014, o que trouxe, junto com a escolha do Rio para sede dos jogos olímpicos de 2016, vários transtornos.

Os passageiros de ônibus cariocas já começam a se enrolar para pegar ônibus, devido à arbitrária padronização visual do prefeito Eduardo Paes. Imagine ir a um compromisso com prazo de horário e embarcar no ônibus errado, por causa da mesma pintura de consórcio e perder o tempo precioso. Transtornos assim nenhum bilhete único conseguirá compensar.

Há também a campanha do império da axé-music - controlado pelos riquíssimos empresários de blocos carnavalescos baianos - para que Salvador faça a abertura da copa do mundo de 2014, fazendo com que os estrangeiros sejam obrigados a tolerar a música de péssima qualidade que os medalhões da axé-music e do porno-pagode baianos vão tocar no evento.

Imagine que, no Brasil popularesco, um jovem cidadão comum não pode ter uma mulher do mesmo nível de beleza e inteligência de uma Márcia Peltier, privilégio do "cartola" olímpico Carlos Arthur Nuzman (um ex-jogador de vôlei que veste como se fosse banqueiro), mas marias-coitadas que existem aos montes nas plateias de sambrega e breganejo, ou as tais popozudas, estas com ex-namorados ou ex-maridos roendo de ciúme rancoroso e, mal digerindo as relações encerradas há um bom tempo, têm até gangue para espancar qualquer pretendente que for visto ao lado da ex.

Junte-se a isso a frustração de muita gente que deseja ter um emprego estável de esperar um ano para que algum novo concurso seja feito, ou, no caso de quem foi aprovado, ver o concurso perder validade sem que qualquer convocação ao trabalho seja garantida aos pobres cidadãos.

É de uma sensatez cortante a frase que o ator Robin Williams disse, numa entrevista de tevê, de que Chicago tinha Michelle Obama e Oprah Winfrey para fazer campanha pela sede das Olimpíadas, e o Rio de Janeiro vinha com strippers e "pó".

Mas o Brasil politicamente correto se sentiu ofendido com tal piada. Sobretudo a "galera" que consome "pó" e cultua popozudas naquilo que eles chamam de "baladas", que são uma espécie de raves provincianas e datadas.

Se bem que Madri seria a cidade ideal para sediar os jogos olímpicos de 2016. De longe, a cidade estava previamente preparada para o posto, mas os "cartolas" não estavam aí com a razão e preferiram escolher um Rio de Janeiro que, somente em última hora, tenta combater a criminalidade e lança mão até da corrupção policial para criar UPP's às pressas. E a criminalidade ainda não é combatida de forma ideal ou eficiente, apesar dos mornos avanços.

Enfim, o Brasil prefere a festa do que a qualidade de vida. Acha que a festa trará mais dinheiro, mais empregos e, com isso, mais justiça social. Mas para quem confunde justiça social com consumismo, não é bom levá-los a sério.

Afinal, como sempre vemos no comportamento de nossas elites e de nossos políticos, os dois eventos esportivos só vão gerar despesas e um violento déficit público. Na melhor das hipóteses, o faturamento só corresponderá a 16% do valor a ser investido, direta ou indiretamente, em relação aos dois eventos. E, desses 16%, é muito provável que nada mais do que 1% (talvez bem menos) seja repassado para a sociedade.

Essa não é uma visão pessimista. É uma visão realista. Vide o que já registra a História de nosso país.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Luciano Huck faz campanha para Thiago Leifert ser o "novo Galvão"

Parece que o principal requisito para ser um "bom" narrador de futebol na Rede Globo é ser um cara bem chato, um malaço, daqueles que não deixam ninguém em paz.

Pois é. Luciano Huck, a chatice em pessoa, um burguês metido a bonzinho que quer ditar as regras do altruísmo no Brasil, resolveu ser mais babaca do que já é e lançou a campanha para que o malaço do Thiago Leifert se torne narrador de futebol, uma espécie versão juvenil do Galvão Bueno, o Rei dos Malas.

Com esse festival de malas, o futebol na TV, que já é chato pra cacete, com aquela imensa tela verde, cheia de bonequinhos correndo atrás de uma bola, com a missão de atirá-la contra uma rede e fazer os histéricos berrarem no maior volume possível para que não consigamos dormir, vai ficar ainda mais chato, com esse malaço que foi assunto em 2010, com sua songa-monguice.

Duro saber que no esporte, a democracia ainda não chegou ao nosso país.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O Brasil corre um grande risco de se envergonhar, diz Pelé

OBS: Não canso de falar que esta copa de 2014 será uma legítima comédia de erros, algo que poderá levar o Brasil a um recesso financeiro violento, uma falência sem precedentes na história de nosso país. Se a população e as autoridades estão pensando que com esse oneroso evento, o país vai entrar no primeiro mundo, estão completamente iludidos e alheios aos bastidores da realização desta copa.

O Brasil vai sim sair do primeiro mundo. Para despencar de uma vez só ao milésimo mundo, se tiver sorte.

Ainda dá tempo de desistir de realizar esta copa. Seria um ato de coragem e de verdadeiro patriotismo.

O Brasil corre um grande risco de se envergonhar, diz Pelé

FERNANDO ITOKAZU - FOLHA DE SÃO PAULO - 18/02/2011 - 15h03

Durante evento realizado nesta sexta-feira, o ex-jogador Pelé afirmou que está preocupado com o atraso nas obras para a Copa do Mundo de 2014.

"Esse atraso está preocupando bastante porque a gente lutou muito para conseguir a Copa e a Olimpíada. Viajamos o mundo inteiro pedindo votos e agora estamos com as obras atrasadas", disse Pelé.

"O Brasil corre um grande risco de se envergonhar se não fizer uma boa Copa. Os principais problemas são a comunicação e os aeroportos. O Brasil tem a obrigação de fazer uma boa Copa", acrescentou.

Pelé afirmou que o Brasil não pode ser comparado com a África do Sul, sede da Copa do Mundo-2010, que também sofreu com os atrasos nas obras de estádio e infraestrutura.

"O pessoal do Fifa pergunta o que está acontecendo aqui. Muita gente fica comparando com a África, mas é bem diferente. Lá o Bill Gates ajudou". disse.

"[O atraso nas obras] não é só assunto de brasileiros. Conversei com o pessoal do Platini [presidente da Uefa] e eles também estão preocupados", completou.

Pelé participou de um evento organizado pelo Banco Santander, em São Paulo, para apresentar o troféu que será entregue aos vencedores dos GPs da Inglaterra (10 de julho), Alemanha (24 de julho) e Itália (11 de setembro), que são patrocinados pelo banco.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Ronaldo falou besteira ao se defender das críticas sobre seu peso

Das três uma: ou ele estava querendo enrolar, ou ele foi enrolado ou não sabe bulhufas sobre o assunto. O que se sabe que, como a maioria dos jogadores de futebol - há exceções - ele falou uma baita besteira, talvez resultante do costumeiro pouco interesse intelectual dos jogadores, muitos semi-analfabetos. Vejam o que o rechonchudo fenômeno falou:

– Há quatro anos, no Milan, eu descobri que sofria de um distúrbio que se chama hipotiroidismo. É um distúrbio que desacelera o seu metabolismo, e que para controlar esse distúrbio eu teria que tomar alguns hormônios que não são permitidos no futebol porque seria doping. Muitos aqui agora talvez estejam arrependidos de terem feito chacota do meu peso, mas eu não guardo mágoa de ninguém.

A declaração dele tem vários erros. Primeiro, a substância para tratar a doença, a levotiroxina, não é considerada fonte de doping. Segundo, que o hipotireoidismo não causa obesidade, apesar de ser uma desculpa frequente para muitos gordos manterem seu estilo de vida e consequentemente, a "banha".

Portanto, Ronaldo, aproveite a aposentadoria para fazer uma boa dieta, corra na praia e coma o menos possível. E pare de ficar procurando desculpa para justificar aquilo que na verdade é resultante de uma vida desregrada cheia de comida e muita farra.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Ronaldo, o "Fenômeno", se aposenta do futebol



E daí, o que eu tenho com isso? Ele não paga as minhas contas!

Pelo menos ele terá mais tempo livre para gastar sua gigantesca fortuna com mulheres, carros, festas e outras inutilidades.

Todos os jogadores deveriam aproveitar e fazer o mesmo e irem para os raios que os partissem.

Aí não teremos mais o desprazer de ver aquela medonha tela verde cheia de bonequinhos nas tardes de domingo e noites de quarta.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Ronaldinho tem nome envolvido em escândalos de Berlusconi

OBS: Esses jogadores só fazem merda. Depois do teste do bafômetro de Adriano, o "Imperador", amigo de gente de caráter duvidoso, agora é o dentuço que apronta das suas. E justamente com il capo Berlusconi, um mau caráter completo. Sinceramente esses caras nunca merecem ser admirados por ninguém.

Pelo jeito o Flamengo está virando uma casa de jogadores-delinquentes.

Ronaldinho tem nome envolvido em escândalos de Berlusconi

09/02/2011 21h39 - Atualizado em 09/02/2011 21h39

Uma das frequentadoras das festas teria tido um caso amoroso com o craque.

Nesta quarta-feira (9), o escândalo em que está envolvido o primeiro-ministro italiano ganhou um personagem surpreendente. Surgiu a informação de que Silvio Berlusconi foi chantageado por uma mulher por causa da transferência de Ronaldinho Gaúcho para o Flamengo. Os promotores querem que o primeiro-ministro seja julgado imediatamente.

Os promotores de Milão decidiram oficializar o processo com o pedido de urgência. Para eles, há provas evidentes contra o primeiro ministro da Itália por abuso de poder e prostituição de menores.

Segundo as investigações, duas meninas frequentaram a casa de Berlusconi quando ainda eram menores de idade. A marroquina Ruby e a brasileira Iris Berardi. Nenhuma delas quer dar declarações.

Numa entrevista coletiva, Silvio Berlusconi disse que o processo é uma farsa e que está enojado. A juíza tem cinco dias para dizer se aceita o julgamento imediato.

Nesta quarta (9), os jornais divulgaram o conteúdo de nova escuta telefônica. A napolitana Sara Tommasi, uma das frequentadoras das festas de Berlusconi, enviou 16 torpedos ao primeiro ministro. Num deles, a modelo exigiu a volta de Ronaldinho Gaúcho, com quem teria tido um caso amoroso, ao Milan, time de Berlusconi. E num tom irritado ameaçou derrubar o primeiro-ministro. Sara afirmou ainda: “precisa ter reputação pra poder governar. Dinho tem que voltar".

O clima na Itália é de muito nervosismo. Nos próximos dias estão previstas grandes manifestações a favor e contra Silvio Berlusconi.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Buááá! O Rock'n'Gol não acabou!

Com a saída dos chatérrimos pseudo-comediantes Bonfá & Bianchi da MTV, eu tive a esperança de que o programa mais chato da MTV, o Rock'n'Gol (que de rock não tem bulhufas - futebol, no Brasil é o esporte-brega por excelência: pergunte a qualquer jogador sobre o gosto musical e saberá) iria acabar. Foi apenas sonho.

O programa vai continuar e terá novo apresentador, um tal de Eduardo Elias, que tem carinha de galã (deve atrair a audiência feminina, cada vez mais hipnotizada pela alienação futebolística) e não é sequer um pseudo-comediante.

Eu era feliz e não sabia. Pelo menos Bonfá & Bianchi fingiam que eram comediantes, dando alguma "graça" ao programa. Com o galãzinho, nem isso.

E continuamos sempre superestimando o esporte, tratando futebol como dever cívico e alienando cada vez mais a população que já não quer mais saber de melhorias na qualidade de vida e sim a inclusão na supérflua sociedade de consumo.

Se não bastasse que muitos VJs legais sairão da emissora, acabando com vários programas legais...

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Aproveitem o jogo de hoje para assistir a um futebol de verdade



Até porque é só um amistoso. Nada está valendo. Por esse motivo vai haver futebol de verdade neste Brasil x França. Nunca tomei conhecimento de alguma trapaça ocorrida em amistosos.

Se fosse uma competição, eu não iria recomendar a audiência. As duas "seleções" costumam roubar em competições.

Tenham um bom futebol hoje, porque quando começar a valer pontos, o "jeitinho brasileiro" entrará em campo e os amarelos ganharão na marmelada.

Nossos políticos são assim. No futebol, controlado por políticos, não seria diferente.

Futebol acirra disputa Globo X Record

OBS:Pode até parecer cruel a comparação, mas acontece aqui o mesmo caso das drogas, onde traficantes disputam pau-a-pau os dependentes usuários que não conseguem largar o vício. No Brasil, futebol é o ópio do povo, algo difícil de abandonar e que causa um fanatismo tão grande que chega a cegar, a ponto da população desconhecer ou humilhar quem não curte o citado esporte.

As redes de TV estão famintas por esse público irreversivelmente fanático, que é capaz de largar qualquer coisa mais importante em prol de um mísero joguinho que não leva a nada. Futebol, no Brasil, rende um dinheiro fácil, enorme e garantido. O que acaba gerando esta disputa.

Futebol acirra disputa Globo X Record

Por Altamiro Borges



Uma das maiores minas de ouro da televisão, o Campeonato Brasileiro de Futebol, está sendo palco de uma encarniçada disputa entre as principais emissoras do país. A TV Globo, que faz fortuna com a “preferência” na transmissão, corre sério risco de perder a monopólio que mantém desde os tempos sombrios da ditadura militar. A TV Record, sua principal concorrente, lidera um grupo de emissoras que se insurgiu contra este privilégio. A decisão sobre esta guerra fratricida deve sair nas próximas semanas.

Mudanças das regras no Cade

As redes de televisão têm cerca de 20 dias para entregar as propostas oficiais de exibição dos campeonatos de 2012 e 2013 para o Clube dos 13, que reúne os principais times de futebol do país. De acordo com as regras fixadas em agosto de 2010 pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Globo perdeu a “preferência” no direito de transmissão do torneio. Agora, todas as emissoras podem concorrer em pé de igualdade, embora nem todas tenham os recursos necessários para bancar tal empreitada.

As novas regras dividiram os cartolas do Clube dos 13. Alguns times defendem uma fórmula mais lucrativa de transmissão dos jogos, com a quebra do monopólio. Outros temem que o fim da exclusividade reduza o número de anunciantes e dos recursos em publicidade, e resulte em perda de audiência. A pressão da TV Globo para manter seu privilégio tem sido brutal, o que levou a Record, que também disputava a exclusividade, a propor que todos os canais se unam e comprem os direitos em conjunto.

A ousadia da TV Record

A transmissão ficaria a critério de cada emissora participante do “pacote”, assim como poderia ser alterado o horário das partidas – hoje submetido à ditadura da Globo, que penaliza os amantes do futebol. Segundo boatos, a famiglia Marinho está desesperada com a possibilidade de união das concorrentes. Seus prepostos já tentaram “seduzir” alguns dos insurgentes, mas esbarraram em dificuldades. TV Bandeirantes e RedeTV sinalizaram certa simpatia com a proposta mais “equitativa” da Record.

A rede de Edir Macedo, como de costume, não está brincando nesta disputa. Especula-se que a Record possa oferecer de R$ 750 milhões a R$ 1 bilhão pelos direitos do Campeonato Brasileiro 2012 e 2013. A emissora já tem a exclusividade da transmissão dos Jogos Pan-Americanos, em 2011, e das Olimpíadas de 2012, em Londres. Caso vença a parada, será um duro golpe no monopólio exercido durante décadas pela ex-poderosa TV Globo. A briga é encarniçada. Tem muita grana em jogo nesta contenda.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Como O Esporte Deforma O Caráter

OBS: É arraigada em nossa sociedade a associação a esporte com valores superiores de humanidade, se esquecendo que qualquer esporte está ligado a duas coisas bem nocivas para o convívio humano: a competitividade, que estimula o egoísmo e a ideia do "físico perfeito", que tira muitas oportunidades de realização pessoal de gente que não satisfaz o padrão típico de um esportista "sarado".

Como é que em nosso país, as pessoas continuam associando esporte à educação e o bom-mocismo? Tirar oportunidades dos outros é correto? Para mim, com certeza não é.

Como O Esporte Deforma O Caráter

Alexandre Carvalho dos Santos - Revista Interessante edição nº 271

"O importante não é vencer, mas participar. " O lema apareceu pela primeira vez durante os Jogos Olímpicos de 1908. em Londres.

Desde então, encaramos o esporte como uma prática sem perdedores. Aos vencedores, os louros da vitória. Aos derrotados, o aprendizado - lições como disciplina. determinação, espírito de equipe.

Daí a missão das Olimpíadas: "Um mundo mais pacífico e melhor por meio do esporte" (com a qual o Rio foi encarregado de colaborar em 2016).

A tese soa inspiradora, mas nem pra todo mundo. Caso de ídolos, como o canadense Ben Johnson. que se entupiu de anabolizantes para bater o recorde dos 100 metros rasos na Olimpíada de Seul, em 1988. E de desconhecidos, como espanhóis que fingiram ter deficiência mental para competir com vantagem nos jogos de basquete da paraolimpíada de Sydney, em 2000.

Focados no pódio, eles trapacearam.

E isso não é tão incomum. Como diz a teoria, o esporte ajuda a moldar o caráter de uma pessoa. Mas, como diz a prática, pode ser para pior.

No dia-a-dia, atletas priorizam tanto o esporte que acabam menosprezando o que está fora dele. São até incentivados nisso.

Em Israel, 75% dos estudantes que praticam esporte no colégio são autorizados pelos pais a perder provas por causa de um jogo (entre pais de jovens músicos.a parcela é de 47%). E 66% dos atletas de colégio são liberados de entregar trabalhos na data marcada, de acordo com estudo da Universidade de Haifa.

Ainda que bem intencionada, a exceção ajuda a formar a ideia de que vale tudo por um bom resultado. E de que o esporte merece atenção total.

É por isso que colar em provas é mais comum entre atletas (65% colam) do que não atletas, como concluiu o Instituto Josephson de Ética, Ong dos EUA que entrevistou 5 300 estudantes americanos em 2007.

(fonte : Revista Super Interessante, edição nº 271)

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Bell Marques faz campanha para Salvador abrir a copa

Os soteropolitanos deveriam para de se sentir ofendidos quando são chamados de ignorantes. O povo deveria ter a humildade em assumir a sua ignorância. Se não fosse ignorante, faria de tudo para que esta copa não acontecesse em Salvador.

Já não era para essa copa acontecer na capital baiana e ainda querem que faça a abertura? É muita irresponsabilidade e nada como o sempre irresponsável Bell Marques, mau caráter completo para organizar essa esdrúxula campanha que confirma mais ainda a alienação do povo soteropolitano.

A copa vai gerar um rombo sem precedentes na capital baiana, que já é recordista em tudo que existe de ruim, mas é apoiada pela maioria esmagadora da população da cidade, que não sabe de onde virá o dinheiro (deve vir "de Deus" ou "dos Orixás") para cobrir todos os gastos.

A copa será um engodo que vai levar definitivamente Salvador a falência já decretada e piorar a já péssima qualidade de vida dos moradores da cidade. Mas o povo, com indíces gigantescos de analfabetismo funcional (sabe ler, sabe escrever, mas não sabe raciocinar), está muito feliz com essa ilusão toda.

Bell Marques, já que quer tanto a copinha, que tal você pagar do seu próprio bolso e doar seus bens para realizá-la? Deixe o governo estadual e municipal se preocupar com coisas muitos mais importantes que esta SUPÉRFLUA festinha de 2014.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Globo x Record: a disputa pelo futebol na TV racha os clubes

OBS: Como proprietária da CBF, e isso é um fato que ninguém quer saber, as Organizações Globo, mega-major de nosso país, sempre teve privilégios na hora de transmitir os jogos e impor essa hegemônica futebolística na goela da população, transformando o gosto pelo futebol numa lei rígida de convívio social, obrigando todos os brasileiros a gostarem do esporte e humilhando os que não conseguem se interessar por ele.

Mas a Record entrando no caminho da Globo, mesmo que o fanatismo futebolístico continue, pelo menos o maior defensor da obrigatoriedade futebolística já não será tão hegemônico quanto a bem sucedida (e anti-democrática) ideologia que lançou.

Globo x Record: a disputa pelo futebol na TV racha os clubes

Blog Vermelho sexta-feira, 21/01/2011 - Extraído do Blog do Capacete



Em agosto de 2010, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) derrubou algumas facilidades da TV Globo para aquisição dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro. Essa boa notícia abriu possibilidade de que outros canais assumam o torneio — surgiu até a ideia de mudar o horário das partidas.

Com a decisão do Cade, o Clube dos 13 — que representa os principais times — rachou. Os canais interessados devem apresentar suas propostas ao Clube dos 13 no próximo mês, e alguns clubes já ficam ao lado da Record, devido sobretudo à promessa da emissora de injetar mais dinheiro no futebol.

Se conseguir fechar contrato com a CBF, a Record deterá a transmissão exclusiva de uma série de eventos de peso — como os dois Brasileiros, mais os já adquiridos Jogos Pan-Americanos 2011 e Olimpíada 2012. Haveria, assim, uma saudável democratização na transmissão de eventos esportivos.


A outra ala do Clube dos 13, temerosa das consequências de uma mudança dessas, apoia a manutenção do atual contrato, que garante a transmissão do Brasileiro na Globo e na Band. Há desconfiança de que a Record — caso consiga os direitos — não atinja os índices da Globo no mesmo horário.

"A audiência dos jogos da 4ª. feira seria bem menor que a atual. Hoje uma partida durante a semana recebe com aproximadamente 40 pontos de audiência de um pgm da Globo (novela), enquanto o pgm da Record entregaria na média de 10 pontos. Resumindo, 4 vezes menos", diz o documento.

A tese, no entanto, é duvidosa sob muitos aspectos. O público predominante das novelas globais é feminino, ao passo que os homens prevalecem entre espectadores do futebol. Tampouco é verdade que as novelas da 9 na Globo têm média de 40 pontos de audiência. A última delas, Passione, chegou ao fim no dia 13 com apenas 35,1 pontos em média no Ibope. Foi a pior audiência já registrada nesta década pela emissora na chamada “faixa nobre” das 21 horas.

Desde 2005, cada novo folhetim da Globo amarga um recorde negativo de audiência. Foi assim com América (49,4 pontos), Belíssima (48,5), Páginas da Vida (46,8), Paraíso Tropical (42,8), Duas Caras (41,1), A Favorita (39,5),Caminho das Índias (38,8) e Viver a Vida (35,8) — até o recente fiasco dePassione (35,1). Para confirmar a regra, a novela Insensato Coração, em exibição desde segunda-feira (16), registrou no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, minguados 27 pontos.

Os clubes pró-Globo, no entanto, apostam no alarmismo. Insinuam que, caso perca o Brasileirão, a decadente emissora carioca boicotará o torneio e passará a adotar uma programação mais agressiva nas quartas-feiras e aos domingos para roubar audiência — como os filmes blockbusters. Mas quais foram os últimos filmes exibidos na Globo que tiveram mesmo bom ibope? Além disso, por que nem ao menos testar a mudança, antes de desqualificá-la?

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Estudar, pra quê?



Remuneram com um miserável salário que não dá para pagar moradia e se alimentar no mesmo mês, para alguém que passou a vida estudando.

Enquanto isso, semi-analfabetos jogadores de futebol ganham imensas fortunas praticamente sem saber o que significa um livro.

Mais um motivo para eu detestar futebol, além da própria chatice do esporte e do fanatismo infantil da população.

Mundo injusto.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Esporte estimula o egoísmo

Sendo atividade competitiva, o esporte estimula o desejo de passar a perna no adversário e ganhar um determinado benefício que não é (mas poderia) ser repartido com os outros.

Como é que tanta gente e a mídia ainda vem com a utópica ideia de que "esporte educa" "esporte é cidadania" "esporte forma jovens". Balela!!! Esporte forma competidores. E a maior característica do competidor é o egoísmo. Até porque se ele não fosse egoísta, daria seus prêmios para outras pessoas ou até mesmo para o adversário.

Esses atletas daí da foto não estão chorando por ninguém. Estão chorando por eles mesmos.

Gostaria muito de ver os atletas chorando pelas crianças que passam fome, pelos velhinhos que morrem nos hospitais, pelos trabalhadores demitidos das empresas, das pessoas que morrem por causa da violência, pelos benefícios cancelados por causa dos desvios de verbas, pela má distribuição de renda que faz ricos enriquecerem e pobres empobrecerem, e por toda e qualquer injustiça social que infelizmente, nenhum esporte tem a condição de acabar.

Pelo contrário, até incentiva, através do estímulo à ideologia do poder do forte sobre o mais fraco. Por isso mesmo, os injustos, principalmente os capitalistas adoram competições. Fazem questão de patrocinar e divulgar esportistas para que a citada ideologia do forte poderoso, invencível e "lindo" (a ditadura da perfeição física é outro malefício dessa ideologia) continue prevalecendo.

Somente quem é ignorante acha que uma vitória no esporte beneficia à humanidade. Apenas atletas, equipe técnica, dirigentes e pessoas diretamente envolvidas com as atividades do atleta vencedor é que são beneficiados com isso. A vida de quem nada tem a ver com esporte nunca muda com a vitória de algum atleta ou equipe.

Até quando isso vai acabar? Não sei. Egoístas não costumam dar ouvidos aos outros...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...