domingo, 28 de fevereiro de 2010

24 razões para não gostar de futebol, por Vinícius Martins

1 – Sou contra a corrupção, lavagem de dinheiro.

2 – Sou contra salários milionários para semi- analfabetos

3 – Sou contra a CBF e seu presidente perpétuo

4 – Sou contra os dirigentes de clubes e para mim o mais honesto foi Eurico Miranda ;)

5 – É um péssimo exemplo – vá a qualquer comunidade carente e pergunte a qualquer criança o que ela deseja ser quando crescer e saberá do que eu estou falando.

6 – Não gosto de Pelé, o acho antipático e oportunista.

7 – Futebol causa letargia coletiva e desvia a atenção dos reais problemas do nosso pais.

8 – Copa sempre cai em ano de eleição (mera coincidência).

9 – O AI5 entrou em vigor quando os brasileiros estavam distraídos com a copa do México.

10 – 80% dos torcedores fanáticos que conheço tem senso crítico e inteligência limitada.

11 – Por ser um esporte enfadonho, sem emoção e muito demorado.

12 – Em 90 minutos dá para ler alguns capítulos de um bom livro, navegar na Internet, atualizar o blog ver quem são os deputados atuantes ou os que tem a ficha suja. (isso sem contar os acréscimos e os melhores momentos).

13 – Mulheres preferem os homens que não gostam de futebol.

14 – Ficar olhando 22 homens suados correr atrás de uma bola para lá e para cá é um soco na inteligência de qualquer ser mediano.

15 – Futebol não tem estratégia, basta ver que um dos melhores técnicos do pais, o Wanderley Luxemburgo, não conhece nem as regras básicas de concordância da nossa língua portuguesa e consegue fazer um time ganhar.

16 – Membros de torcidas organizadas tem cara de presidiários de Bangu 1. (repare bem na torcida corintiana, flamenguista e vascaína e saberá do que estou falando).

17 – Torcedores de futebol são mais propensos a levar chifres, enquanto estão na “pelada” de domingo, o Ricardão (que não gosta de futebol) ta com sua namorada pelada em casa.

18 – Quando Charles Muller trouxe o futebol para o Brasil, também trouxe o cricket, você já viu alguém jogando cricket?

20 – Para jogar futebol não é necessário nenhum talento especial e nenhuma capacidade intelectual que se destaque, do contrário Romário seria um perna de pau e os Ronaldos não saberiam chutar na bola.

21 – Porque o “globo esporte” não deveria se chamar assim, deveria se chamar “globo futebol” porque brasileiro acha que esporte se resume em futebol.

22 – A globo, sim esse canal que nasceu na ditadura e apoiou os governos militares, quer que você goste de futebol, assim dá para ganhar mais dinheiro com transmissão de jogos e com patrocínios – e você, como um idiota fica atrás da tela chorando com seu time.

23 – Pesquisas constataram que somente 46% dos brasileiros gostam de futebol, Sim, não são maioria, parecem ser porque fazem muito barulho.

24 – Para coincidir com o número vinte e quatro do item, acho que gostar de futebol é um indício muito forte de homossexualismo reprimido. Experimente passar de calcinha na frente do seu namorado enquanto ele vê um jogo de futebol e veja o que acontece!

Escrito por Vinicius Martins. Extraído do excelente blog O COTIDIANO. Visitem.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Trapalhões previram vitória do Botafogo em 2010

Os Trapalhões viraram nostradâmicos. Depois de "preverem" as mortes de Mussum e Zacarias, agora previram a vitória do Botafogo no último campeonato estadual que aconteceu até agora (Taça Guanabara, creio).

Assistam o vídeo, gravado em 1989, até o final. Pois é justamente quando o vídeo termina que aparece a referência.

Depois dessa , o Renato Aragão terá que mudar o sobrenome de seu personagem mais famoso: Didi Mocó Sonrizé Colesterol Novalgina Mufumo Nostradamus.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Rapaz com deficiência é mais conscientizado que os "normais"

Esse é um depoimento de Paulo, um jornalista com deficiência física que demonstra muita sensatez e coerência sobre o que o brasileiro pensa em relação ao futebol.

Um exemplo para os "normaizinhos" que pensam que raciocinam bem mas paralisam toda a atividade cerebral por causa de qualquer evento futebolístico.

Valeu, Paulo, estamos com você!

Lesão no peito tira Luís Fabiano de amistoso de terça

E daí? Não sei quem é Luís Fabiano, não conheço Luís Fabiano e tenho raiva de quem o conhece. Se ele não pode jogar, coloca outro uai! Dá na mesma!

Será que ninguém tem algo mais importante para fazer do que ficar se preocupando com "Luís Fabiano"?

Lançada nova camisa da $ele$$ão

A $ele$$ão apresentou sua nova camisa. Metida a ecológica(para dar "seriedade" ao evento), a camisa também terá cópias que podem ser compradas pelos torcedores a... R$ 179 Reais. Mas não vai faltar trouxa que deixará de comer para comprar a sua.

E não será preciso uma camisetinha para ganhar uma copa. Os amarelos apelaram para o "jeitinho brasileiro" em 2002, ganhando na marmelada, na falcatrua e no cambalacho (aprenderam com a França, que ganhou roubando na copa anterior) e se for necessário, vão apelar para a tática do jeitinho neste ano.

Sabe o que eu acho da nova camisa da $ele$$ão e de tudo relacionado aos amarelos e seus torcedores-trouxas?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Futebol não é esporte rock'n'roll

Não sei porque no Brasil ainda tem uma cambada de roqueirinhos alienados que tratam o futebol como esporte radical. Sei que o futebol é o esporte mais popular do país graças a ludibriagem feita pela mídia e pelas regras sociais. mas isso não justifica qualquer fã de rock a criar uma associação entre o gênero e o esporte, por gostar de futebol. Uma pessoa pode gostar de coisas diferentes sem que para isso precise criar uma associação entre elas. Mas criam.

Existem até progamas com nomes de "Rock-Bola", "Rock Gol" e chatérrimas mesas redondas (mais chato que futebol só mesmo debate sobre futebol, daqueles que discutem o sexo da bola como se isso fosse salvar o planeta) em rádios-rock de meia tigela.

Se fosse na Inglaterra, tudo bem, já que rock é ritmo pátrio de lá, mas no Brasil. O que eu admiro é que essa cambada de roqueiros de maia tigela não consegue perceber a incoerência que estão cometendo, pois não sabem que o rock é desprezado e até odiado pela maioria dos jogadores de futebol. Como chamar o futebol de "esporte-rock" se os jogadores não curtem o gênero. É como dizer que hockey no gelo é o "esporte-samba".

Os jogadores de futebol brasileiros em sua maioria, tem origem pobre, e por isso não tem acesso às informações midiática que vem de fora e costumam apenas a gostar daquilo que já chega mastigado em suas mãos. Geralmente gostam de coisas mais populares e que não sejam muito intelectualizadas. Até porque eles trabalham muito mais com a força física, a inteligência acaba sendo utilizada apenas para as táticas no campo ou para decidir como vai gastar o imenso salário que recebem, isso no caso dos grandes clubes, para quem os roqueirinhos-carneirinhos torcem.

Se os roqueiros querem curtir futebol, tudo bem. Mas parem de associar o esporte como se ele fizesse parte da cultura rock. isso pode até ser na Inglaterra, mas na Terra Brasilis, nem pensar.

Podem ir pegando o cavaquinho, o pandeiro e a cuíca e façam um bom sambinha. Porque na verdade o futebol não passa de um "esporte-samba" na melhor das hipóteses.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Ninguém aceita as diferenças

Um rapaz foi colocar flores no túmulo de um amigo. Em seguida chega um japonês e coloca um prato de arroz no túmulo ao lado. O primeiro pergunta:

- Você não vai querer que o espírito de seu amigo vai aparecer para comer o prato de arroz, não é?

- Claro que não. Do mesmo modo que você não vai querer que o seu apareça para cheirar a flor!

Substituam a flor por futebol e o prato de arroz por algum esporte menos popular e entenderão a historinha.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Atleta de grande clube revela que uso de drogas é algo bem comum no futebol brasileiro

Entrevista feita pelo repórter Caio Barbosa e publicada no diário Lance no dia 23 de março deste ano.

Caio Barbosa


A notícia envolvendo o zagueiro Renato Silva, do Fluminense, que foi flagrado num exame antidoping que apontou o uso de maconha, deixou muitos jogadores de futebol apreensivos. O LANCE! entrou em contato com um jogador, paulista, com várias passagens pela Seleção Brasileira, da Sub-15 à principal, que deu um depoimento impressionante. Segundo este profissional, que prefere o anonimato e é titular num dos maiores clubes do país, o uso de drogas como maconha, cocaína e ecstasy é muito comum no meio do futebol, sobretudo entre jogadores ricos e famosos, até mesmo da Seleção Brasileira. Confira a entrevista.

LANCE!: Qual foi sua reação ao saber do caso Renato Silva?
X: Achei que ele deu mole, é um jogador profissional e deveria saber se preservar. Só que não é hora de condenar o cara, mas de ajudar, porque condenar é sacanagem. Não é só o Renato Silva que faz isso, todo mundo faz. Condená-lo é falsidade, hipocrisia.

L!: Todo mundo faz? Como assim?
X: Todo mundo é modo de dizer, mas jogador usa droga, sim. E como usa. Este caso do Renato Silva está até repercutindo entre a gente, porque a grande maioria acha, ou achava até então, que o exame antidoping só aponta que o jogador usou a droga, no caso a maconha, sete, dez dias após o cara ter fumado. E agora estão dizendo que fica no corpo por 40 dias ou mais.

L!: Tem gente preocupada?
X: Deve ter, com certeza. Já cansei de ver jogador perguntar a médico se pode fumar tal dia, porque só tem jogo uma semana depois.

L!: E os médicos deixam?
X: Não. Recriminam, mas por outro lado sabem que o cara é maior de idade e se quiser fumar, vai fumar. Ou cheirar, o que seja. Então, para não pegar para lado nenhum, o cara orienta. Mas nunca aprova. Nem poderia, né! O cara é médico.

L!: Mas jogador se droga com freqüência?
X: Direto. Se ficar machucado ou suspenso, se tiver uma balada massa, o cara fuma mesmo, cheira mesmo, toma remédio, ecstasy, faz tudo.

L!: Mas isso deve ser mais entre a garotada que fica deslumbrada quando chega num grande clube, vem do interior sem muita instrução, como no caso do próprio Renato Silva. Certo?
X: Que nada. Não tem muita regra, não. Mas se eu tivesse de apontar, diria que são muito mais os jogadores experientes, cascudos, do que a garotada. Na Seleção tem, em clube grande tem. Em clube pequeno, de onde eu vim, é que pouco tem. A garotada fica com medo, ainda está naquela fase de afirmação na carreira, não quer se queimar.

L!: Quem usa droga?
X: Está de sacanagem comigo? Claro que eu não vou falar, não tenho nada a ver com isso. Cada um faz o que quer da vida. Mas este mundo é sinistro, é submundo, submundão mesmo. É muita droga nas internas. O único cara de quem eu posso dizer, porque não é novidade para ninguém, todo mundo no meio sabe, é o Pitbull, que jogou na Ponte Preta e foi pego no Bahia. Todo mundo diz que ele é sinistro, sobe morro, leva, traz, faz tudo. Ele é chapa quente e não escondia, não. Atualmente, não sei como ele está, sinceramente.

L!: E da Seleção?
X: Quem é íntimo dos caras, sabe o que rola. Não sou eu que vou dizer. Mas na balada tem de tudo. Só não fique com essa cara de surpreso, não (risos).

L!: Mas você vai para a balada também, que eu sei.
X: Vou.

L!: Se droga também?
X: Estou fora. E se tivesse de fazer, faria nas férias. Mas estou fora. Temos vários exemplos ruins aí e eu não vou dar mole para o azar.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Brigas entre torcedores deixam um morto e 17 feridos em SP

Comentário deste Blog: Está cada vez mais comum acontecer estes tumultos com torcedores. O Hooliganismo pode se consagrar na Terra Brasilis. mais uma prova de que a maioria dos fanáticos do futebol são machistas trogloditas que pensam que é desta forma que vão consagrar sua masculinidade.

Texto extraído do site do Bom dia São Paulo

A Polícia Militar registrou pelo menos seis brigas entre torcedores do Palmeiras e do São Paulo no domingo (22) em São Paulo, que deixaram um torcedor morto e 17 feridos. Os dois times se enfrentaram no Palestra Itália no fim da tarde. O caso mais grave foi registrado em Jundiaí, a 58 km da capital paulista, onde além morte de um homem, outros 12 ficaram feridos. Outras quatro brigas foram registradas na capital e uma em Santo André, no ABC. Ninguém foi preso.

Em Jundiaí, quatro pessoas foram baleadas - sendo que uma delas morreu – e outras nove foram feridas por armas brancas. O confronto aconteceu na altura do km 59 da Rodovia dos Bandeirantes. Segundo funcionários de um posto de serviços que fica no local, é a segunda vez que torcidas se enfrentam na área.

De acordo com a polícia, dois ônibus com integrantes da torcida Independente, do São Paulo, pararam em um posto de gasolina onde estavam estacionados dois ônibus e duas vans da Mancha Verde, torcida do Palmeiras. Os torcedores se enfrentaram com paus, pedras, canos de ferro e tiros foram disparados. Uma das vítimas perdeu a mão com uma bomba caseira.

Segundo os policiais, os torcedores envolvidos na briga são de Rio Claro, Limeira e Campinas. A rodovia ficou interditada por mais de uma hora para o resgate dos feridos. Os policiais apreenderam diversos objetos usados no confronto.

Três das vítimas que foram baleadas seguem internadas em observação, mas não correm risco de morte. Os outros nove feridos já foram liberados.

Capital

Antes mesmo de o jogo começar, os torcedores já estavam se enfrentando na capital paulista. Na estação de trens de Santo André, eles se enfrentaram com paus e barras de ferro. Todos os torcedores presos foram liberados no mesmo dia.

Ao lado do Palestra Itália, as provocações começaram dos dois lados. O mando de jogo foi do Palmeiras, por isso a maior parte dos ingressos foi destinada aos torcedores do time. Isso não impediu que as torcidas se enfrentassem antes e durante o jogo.

Palmeirenses atiraram pedras contra os torcedores do São Paulo. A polícia se apressa para tentar evitar o conflito. Só um tiro com bala de borracha acalma a situação. A torcida do São Paulo teve que chegar com escolta do batalhão de choque.

Durante o jogo, parte das torcidas que ficou do lado de fora voltou a se agredir. No total, quatro torcedores ficaram feridos. Um deles teve uma parada cardíaca e precisou ser reanimado na calçada. Dois dos feridos estão em estado grave – um no Hospital das Clínicas e outro na Santa Casa de Misericórdia.

No Itaim Paulista, na Zona Leste, a confusão entre torcedores levou 57 pessoas para a delegacia. Todas foram liberadas. Na Brasilândia, Zona Norte, uma pessoa ficou ferida em um conflito.

Histórico

Em maio de 2009, uma briga entre torcedores do São Paulo e do Palmeiras deixou 20 pessoas feridas na Zona Sul da capital paulista. Em junho, um confronto entre torcedores do Corinthians e do Vasco acabou em morte. Um rapaz de 28 anos morreu antes do jogo entre os dois times no Pacaembu.

Outras oito pessoas ficaram feridas. Três ônibus que traziam vascaínos do Rio de Janeiro e vinham pela Marginal Tietê encontraram um ônibus e cinco carros de torcedores do Corinthians. Todos desceram e começaram a brigar.

Do G1, com informações do Bom Dia São Paulo

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Porque torcedor tem que berrar?

Na última querta, eu estava cheio de sono, por causa do ritmo de estudos para um concurso para obter emprego. Mas uns desocupados, que se esquecem que muita gente trabalha ou estuda no dia seguinte, muitas vezes acordando muito cedo (há muitos engarrafamentos, já considerados clássicos, aqui no RJ) deram a grunhir feito animais selvagens durante o jogo Botafogo e Flamengo. Como os animais eram flamenguistas, a derrota ajudou a calar as bocarras.

Aí os defensores irão dizer: "pô, deixa o caras serem felizes". Felicidade é berrar feito louco, para acordar os outros? E a minha felicidade. Sabia que emprego é que traz felicidade às pessoas. Pelo menos eu acho que viver faminto embaixo da ponte não é motivo nenhum de felicidade. Tanto quem tem um emprego como os que não tem gostariam de dormir cedo. Ficar desempregado é ruim para o bolso, para a saúde e para a auto-estima, já que principalmente para quem e´do sexo masculino, o emprego é quase uma identidade. Emprego é documento.

Portanto peço para que os animais se aquietem ou para as redes do PiG entrassem em um acordo só permitindo jogos de futebol durante o dia, nos finais de semana. Muita gente séria que nada tem a ver com isso gostaria de ter uma gostosa noite de sono. E isso também é felicidade.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Esporte na TV aberta não é só futebol

Feliz iniciativa da TV Record de transmitir as Olimpíadas de Inverno. Não sou muito chegado nos donos dessa Rede, mas temos que aplaudir quando algo de positivo é feito.

É uma forma de mostrar outros esportes, muitos desconhecidos de uma nação ignorante e teimosa que graças aos antolhos colocados pela Rede Globalizante, não conseguem ver outro esporte além daquele que se joga utilizando os pés.

Muitos esportes mostrados na Olimpíada de Inverno se caracterizam pela beleza e outros pela inteligência, coisas meio escassas no futebol, onde todos pensam que tem inteligência e beleza. Só se for a inteligência e a beleza fabricadas, que a Rede Globalizante gosta de ver na população.

Parabéns a Record e sempre que posso, assisto a alguma modalidade. Recomendo a todos assistir para fugir da rotineira vida futebolística.

Existe vida fora do Planeta-Bola.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Suzana Werner


Fotos que a bela postou em seu blog. Publicado também no Certinhas do Laranja.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Os Hooligans chegam ao Brasil

O presidente do Coritiba, Jair Cirino, disse ontem no Jornal da Band que está sofrendo ameaças de morte dos torcedores do clube.

Após a partida contra o Fluminense, que rebaixou o Coxa para Série B, a torcida invadiu o estádio, agrediu policiais e jogadores. A confusão se espalhou pelo bairro e feriu 22 pessoas. Um rapaz de 19 anos permanece internado em estado grave na UTI de um hospital. Já o policial que foi atingido em capo e ficou desacordado passa bem.

Duas semanas atrás, o atacante Vagner Love foi agredido por torcedores do Palmeiras, insatisfeitos com o fracasso do time na reta final do Brasileirão.

Será que os Hooligans chegaram ao nosso País?

Hooligans são grupos de torcedores de eventos esportivos que existem na Europa, principalmente na Inglaterra, Rússia, Polónia, Alemanha e Croácia. Surgiu tradicionalmente na Inglaterra na década de 60, mas ficou mais evidente na década de 70. Hoje em dia, esse grupo é até mesmo proibido de entrar em alguns países da Europa.

Aqui no Brasil, só vão tomar providências quando começarem a matar dirigentes e jogadores.

Escrito por Marcondes Brito para o seu blog.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

New Order tem outra música sobre futebol


É o belíssimo tema intrumental Best and Marsh, sobra do álbum de 1989, Technique, música que gosto bastante em que a banda homenagea os jogadores britânicos George Best e Rodney Marsh.

O Brasil também tem boas músicas sobre futebol. Vou escrever sobre isso em outra oportunidade. Curtam a bela música.


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

FUTEBOL - O ÓPIO DO POVO

O futebol lamentavelmente, se tornou o ópio do povo. É a "política do pão e circo" para poder esconder os profundos problemas que a sociedade enfrenta, esquecendo por um momento os defeitos sociais e econômicos durante esse período.

A Copa do Mundo não deixa de ser um importante evento futebolístico, entretanto será que um país como o Brasil, com tantos problemas sociais, com tantos desníveis sócio-econômicos, com uma economia tão frágil, pode se dar o luxo de parar em dias em que há partidas da seleção brasileira? Será que nós brasileiros, que acompanhamos aos jogos da Copa, temos o direito de esquecer que existe pobreza no Brasil durante os jogos de futebol?

O evento acompanhado por bilhões de pessoas em todo o mundo, consegue uma façanha que nenhuma propaganda de governo consegue fazer: o mascaramento dos problemas sociais e econômicos.

Infelizmente é isso o que ocorre a cada quatro anos. Parece que todos os problemas sociais acabam, a miséria, a segurança, a roubalheira política...etc. É por isso que o governo comemora, quem sabe, uma melhora nas pesquisas. Além disso, transformar dias de jogos da seleção em feriados é certo? Só falta isso acontecer. Tem também o recesso, concedido a políticos durante as partidas. No dia do primeiro jogo da seleção, a Câmara e o Senado não terão expediente e será interrompido por mais tempo. O próprio Presidente vai parar para acompanhar o evento. E nesses dias, os hospitais, as delegacias, os bancos, supermercados, farmácias, as conduções, as escolas. Tudo funciona precariamente. Do povo faminto, infelizmente, nada pode ser exigido, pois o Mundial é uma das poucas alegrias, apesar de falsa e momentânea.

A televisão, que é o mais importante meio informativo do país (ao menos é o mais visto), manipula as notícias ainda mais, causando um "efeito Copa", em que as pessoas priorizam os jogos de futebol. Pode surgir sim, alguma notícia sobre o quebra-quebra no Congresso Nacional, em Brasília, causado pelo MLST (Movimento Libertação dos Sem Terra), que logo é sufocada por alguma notícia da concentração da seleção brasileira.

O resultado da Seleção no Mundial pode influir nas pessoas. Se houver um resultado negativo, o país volta à realidade mais cedo. Se, pelo contrário, vencer até o final, o resultado pode ser prolongado por mais tempo. A situação é, no mínimo, irônica, o povo está com fome, mas ao menos está feliz. Não há problemas se as pessoas torcem para que o time jogue bem e para que ganhe. A felicidade reinará no território brasileiro, mas não pode substituir condições dignas de vida. A prioridade deve ser tais condições.

Escrito por José Rodrigues Alves Bomfim

Publicação: Para ler e pensar 20/06/2006

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Monopólio do futebol, o ópio do povo

As alegrias que a seleção de voleibol nos dá são sensações de glória, de perseverança, de profissionalismo, de coragem e honestidade. Também o atletismo, a natação do Cielo, o basquete, a ginástica (mesmo com todo abandono) e todos os demais esportes no Brasil. Imaginem as alegrias que os demais esportes nos dariam se os recursos fossem tantos como os do futebol? Senão fossem tão desviados, como disse o Pelé, com certeza não precisaria de ajuda (Timemania) para cobrir seus déficits por má gestão O problema maior é a insistência que a mídia dá ao futebol, encabeçados pela Rede Globo, que é um dos poderes da república. Seus apresentadores se sentem como anjos escolhidos por Deus (Roberto I. Marinho) e acreditam que podem tudo, sempre usando o povo brasileiro como massa de manobra a pedido dos governos ou em interesse próprio. Elegem como heróis alguns jogadores que nada acrescentam à nossa cultura e dão maus exemplos a nossos filhos, enquanto deixam no limbo nossos verdadeiros heróis.

Reclamamos de nossas poucas medalhas, houve risos quando o Diego Hipólito caiu, virou chacota nacional, porém o Romário responde a dezenas de processos por agressão e é chamado de herói, dá pra entender? Atletas sem salário, sem estímulo, sem patrocínio, tudo isso é revoltante, com investimentos pífios não se pode esperar muita coisa. Entretanto, o futebol (ópio do povo) tem tomado muito mais espaço na mídia, porque? Dá mais lucro? Pra quem? Aliena a massa? Deu-nos alegrias? Sim, sem dúvida, porém não tanto quanto deveria. Por outro lado insistir em manter a monocultura do futebol é burrice, pois não estamos mais em 1950, época em que só o futebol tinha peso. Grandes estádios, grandes campeonatos, grandes salários, grandes clubes, muitas diretorias, muitos desvios, grandes sonegações. Tudo é grande. Antes de pensarmos na copa de 2014, que ao nosso ver será uma catástrofe, afinal teremos que mascarar diversas situações de desgoverno existentes, temos que saber até que ponto o dinheiro público (que dizem não existir) será aplicado nesse empreendimento megalomaníaco em detrimento de necessidades básicas das esferas menos favorecidas. Temos hoje como caóticas as políticas publicas para saúde, segurança, transportes, educação entre outras. Em vez de estádios de futebol, porque não postos de saúde, escolas, água, saneamento, estradas, presídios. Dizem que os investimentos serão benéficos à população após o evento engano puro o Rio de Janeiro após o Pan esta o mesmo ou até mais violento. Fica a pergunta: E as cidades que não sediarão os jogos, que benefícios terão? Não somos mais 90 milhões em ação...somos 200 milhões com 150 milhões de necessitados e famintos, não podemos fingir e posar de país rico achando que os problemas não existem, temos recursos mas anda não somos ricos. A África do Sul já esta enfrentando seu futuro, com a massa revoltada, pobre e faminta, com baixíssimos salários, trabalhando na construção de estádios megalômanos para atender interesses não muito claros e inexplicáveis. Afinal com tanta urgência em todos os segmentos, sediar uma copa do mundo foi no mínimo, um contra-senso. Novamente, tanto lá na África como aqui, grandes eventos serão realizados, milhões e milhões gastos pelo governo e ganhos pela iniciativa privada, as massas como sempre estarão de figurantes na partilha do bolo entre os incluídos.. Quem viver verá. (www.carvaovermelho.blogspot.com)

Escrito por Daniel Moreira
Sex, 25 de Dezembro de 2009 17:23
Extraído do blog Texto Livre

Kaká sofre de doença crônica, mas PiG quer que ele vá a copa

O jogador Kaká, do (Ir) Real Madrid , foi diagnosticado com pubalgia, doença crônica que ataca a virilha. Desesperados por perder o craque-galã, os patrocinadores devem ter ordenado para que façam de tudo para que o jogador não seja dispensado da copa, pois a não ida dele pode ajudar a perder bilhões e afastar o público feminino, já que o PiG quer que 100% dos brasileiros estejam torcendo pelos analfa-magnatas de cor amarela.

Os médicos recomendam que Kaká fique afastado da copa. Mas ninguém vai deixar essa mamata toda ir para o espaço, não é? Qualquer jogador mesmo doente, por mais grave que seja é obrigado a ir, já que o povo idiota pensa que eles são "soldados defendendo a nação". Defendendo a nação de quê, eu não sei. Deve estar defendendo o Brasil contra o bom senso, inimigo dos brazucas alienados.

Lembram do caso Ronaldo vs Nike? Pois é! Mesmo morrendo, Kaká vai e ponto final!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Futebol é coisa de macho? Sei não...

Se não bastasse a mania dos torcedores fanáticos de futebol de largarem suas belíssimas e perfumadas namoradas/noivas/esposas por um bando de machos fedidos nos finais de semana, seus ídolos mostram que a recíproca é verdadeira. Tudo na maior viadagem.

Estas repugnantes cenas são bem grotescas e nojentas para quem é macho de verdade. Mesmo assim, resolvi colocar aqui para mostrar o verdadeiro lado desses machões enrustidos que roubam mulheres que deveriam ser nossas para depois largá-las feito vassouras velhas. Tanto os jogadores como suas tietes, os torcedores, tudo viado.

Depois acusam quem não gosta de futebol, de viado. Viado, pelo que eu sei é aquele que gosta de macho. E todo torcedor mata e morre pelos jogadores de seu time. Gostam muito mais de futebol do que de qualquer coisa, inclusive mulheres. As coitadinhas, tem que ficar casadas com essas bichonas por causa do dinheiro... Afinal, elas e os filhos precisam de casa e comida, não é?

Aqui estão as 24 horrendas fotos. A quantidade é proposital, como "homenagem" a esses "heróis" da "masculinidade" Uuuuuiiiiiii.....















Futeboiola, o esporte ofícial dos "rapazes alegres". Com eles, é só alegria...

E eu estou fora dessa. Ainda bem que não gosto de futebol. Gosto mesmo é de mulher!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Albênzio Peixoto fala sobre o Futebol

O nosso conhecido Albênzio Peixoto, famoso antropólogo do Cilada, não é um antropólogo como os outros, que adoram ver pobres em situações ridículas e sem perspectivas de melhorias de vida. Peixoto sempre vem com textos interessantes para a gente refletir, que muitas vezes são abruptamente cortados.

E este é mais um. Vejam as palavras sábias de nosso mestre Albênzio. Com ele não tem cilada. E futebol, para nós, é sempre uma cilada.

Eis as palavras do mestre:

O futebol... é uma boa questão. O futebol é inegavelmente a maior paixão de quem? Do brasileiro. E no país de terceiro mundo, rodeado por injustiças sociais, o futebol assume uma função de ópio de quem? Do povo. Temos então um país que acaba sempre refém de uma disputa, definindo a felicidade de seu povo através de um resultado positivo ou o quê? Negativo. Um povo e de...

(chiado) - um torcedor desliga o pronunciamento de Albênzio. Afinal, além de estar de saco cheio da intelectualidade, vai começar mais um jogo neste exato momento.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Cenas que gostaríamos de ver: Final da copa de 2014



--------------------------------------------
Comentário:

Bruno Melo disse...

Sonho!

Mas os brazucas certamente diriam: "Daqui há quatro anos nóis leva, vamo na fé"

Brasil, um País de Tolos.

3 de fevereiro de 2010 10:50

Que copa que nada! O melhor da África do Sul é Charlize Theron!



Neste ano de copa na África do Sul, enquanto os torcedores boiolas do Brasil, que preferem passar as tardes de domingo com machos suados do que com suas perfumadas - e lindas - esposas, vão ficar gritando gol nos ouvidos de quem quer que seja, nós, os homens de verdade, que adoramos mulher, temos uma ótima notícia que tem muito a ver com África do Sul.




A belíssima, charmosa, gostosa, simpática, classuda, inteligente e ainda com aquela carinha bochechuda de eterna menina, a deusa estonteantérrima Charlize Theron está sozinha!!! Ah, se ela fosse minha vizinha. Eu estava feito. Afinal ela tem tudo para ser uma das 10 mulheres mais lindas do mundo. Se a perfeição fosse definida através de uma mulher, seria Charlize. A deusa de todas as deusas!!! Uauuu!!!!

The Daily Show With Jon StewartMon - Thurs 11p / 10c
Charlize Theron
www.thedailyshow.com
Daily Show
Full Episodes
Political HumorHealth Care Crisis

Publicado também no blog Certinhas do Laranja.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...