domingo, 29 de junho de 2014

Tipos de torcedores de futebol

Mesmo sendo uma quase unanimidade, pelo menos em aparência, o futebol não poderia ser curtido da mesma forma em uma sociedade tão diversificada. Mesmo admitindo gostar da modalidade esportiva, cada pessoa procura curtir da forma mais pessoal possível.

Com base nisso e após observar algumas características, classifiquei os tipos de torcedores de acordo com o comportamento que demonstram em relação ao futebol. Vamos aos tipos.

O Torcedor Fiel - é aquele que gosta do futebol sempre, seja em copa, seja fora dela, não chega a ser tão técnico quanto o especialista, mas demonstra uma fidelidade ao prazer do esporte, que se torna o seu hobby preferido. É bastante dedicado e não se limita a modismos. A maior parte da torcida masculina pertence a este tipo.

O Torcedor Especialista - Também fiel, difere do anterior por entender mais da parte técnica do futebol. Conhece os jargões e analisa as jogadas de forma mais detalhista e científica, podendo também ser conhecido como "torcedor intelectual". Conhece os bastidores (mas não tanto quanto o tipo realista, como veremos a seguir), mas não se aprofunda neste aspecto, preferindo se dedicar ao que acontece em campo.

O Torcedor Realista - Outro tipo similar ao fiel, mas concentrado ao que acontece nos bastidores. Conhece as falcatruas que acontecem longe dos olhos do público e muitas vezes luta contra elas, apesar de continuar gostando de futebol. Aliás, é uma das metas desse tipo de torcedor lutar por um futebol mais "limpo", longe da influência de cartolas e patrocinadores. Costumam ser bastante politizados (com escolaridade alta) e normalmente respeitam quem não curte futebol.

O Torcedor Modista - Do contrário do fiel, só gosta de futebol por saber que é um esporte popular. Gosta de imitar o que as multidões fazem. Para este tipo de torcedor, o fato da modalidade esportiva ter um grande número de adeptos é mais importante que o futebol em si. Altamente submisso a mídia e a regras sociais, larga tudo pelo futebol, mas ignorando a parte técnica e ainda mais os bastidores (algo que parece não existir para este tipo de torcedor, se parecendo muito com o tipo alienado neste aspecto). Gosta apenas dos gritos e do clima altamente catártico inerente a ritualística do futebol em nosso país. É neste tipo de torcedor que se encontram a maior parte das mulheres, embora grande parte delas esteja no tipo "Patriota de Copa", que veremos a seguir. Outra característica: o modista costuma ter uma vida social intensa e movimentada em seu cotidiano extra-futebol.

O Patriota de Copa - Tipo de torcedor modista que só interessa pelo esporte em tempos de copa. O nome sugere que este tipo de torcedor trate o evento como um dever cívico. Age como o modista, mas acrescenta a isso a noção errada de que o futebol é importante para o país, chegando a confundir a "seleção" com o próprio território nacional, transferindo os símbolos de amor cívico a exaltação da equipe oficial de futebol. Embora exista gente de ambos os sexos, as mulheres são maioria neste tipo.

O Hooligan - Este tipo de torcedor se caracteriza pelo extremo fanatismo e defende o seu time de forma mais agressiva possível. Leva a sério o aspecto catártico e viril do futebol e não mede esforços para que adversários e alguns simpatizantes sejam espancados, muitas vezes até a morte. Não confundam com agressores que se infiltram nas torcidas só para agredir: diferentes destes, os hooligans usam a paixão pelo futebol como motivação para as suas brigas. Adoram futebol, mas defendem o seu hobby da pior maneira, causando muitas confusões. São comuns em torcidas organizadas.

O Torcedor Troll - Mistura do tipo modista com uma versão muito mais branda do hooligan, este tipo está muito mais interessado em usar o futebol para berrar, tocar cornetas, fazer barulho e usar a catarse para liberar seus instintos. Gosta de futebol, presta atenção dos lances, mas demonstra uma certa ansiedade em se agitar, sem se importar com o sossego alheio. Se divertem ofendendo torcedores de times adversários e quem não curte futebol. É muito comum no Rio de Janeiro e entre adolescentes e crianças crescidas (a partir dos 7 anos) de qualquer parte do país.

O Torcedor Tranquilo - É aquele que não costuma fazer barulho em comemorações, não costuma errar, preferindo outras formas de comemoração. Não gosta do comportamento da maior parte das torcidas, preferindo assistir seu futebol em um lugar tranquilo e silencioso. Geralmente se parece com o tipo especialista, já que o foco dele é o futebol em si e não o clima de festa anexado a ele, lhe dando a oportunidade maior de se dedicar mais a parte técnica da modalidade.

O Torcedor Alienado - Conhecido também como "torcedor religioso" por tratar o futebol como se fosse uma "religião", é o oposto dos tipos realista e especialista: gosta de futebol, mas tem uma perspectiva ingênua em relação a modalidade. É extremamente otimista em relação a honestidade no futebol e prefere acreditar que toda a falcatrua ocorrida nos bastidores seja encarada como mentira, um boato para tirar o prazer do futebol. Acredita cegamente nos seus ídolos (tratados como se continuassem sendo os velhos peladeiros de seus campinhos de várzea) e constrói uma aura de conto de fadas ao redor do futebol, enxergando apenas o lado positivo da modalidade. O nível de fanatismo costuma ser tão extremo que o dos hoolligans, mas com a diferença de que os alienados são pacíficos, avessos a agressividade. É um tipo muito comum nas classes pobres, nas cidades interioranas e em pessoas de baixa escolaridade.

O Torcedor Extra-copa - Raro, mas existente. É aquele torcedor que prefere os campeonatos regionais e nacionais e não costuma cultuar a "seleção". Muitas vezes vê os jogos das copas, mas sem a empolgação que demonstra no futebol de sua região. Prefere torcer para seu time do que para a "seleção", admitindo que os jogadores atuam bem melhor em seus times. Tem uma perspectiva parecida com o do tipo realista em relação ao futebol, mas acha que a corrupção pode ser mais facilmente eliminada no futebol regional, já que para ele, as instituições como FIFA sejam muito mais corruptas que as federações locais. Como os realistas, costumam respeitar quem não curte futebol.

sábado, 28 de junho de 2014

O melhor vídeo sobre a copa

Este ótimo vídeo gravado pela diretora teatral Luíza Romão, denominado ''Palpites da copa'', é um dos mais inteligentes que eu já vi. Sem rancor, altamente poético e cheio de rimas inteligentes, ele critica não o esporte (realmente o futebol, em si nada tem de errado - o que o cerca é que é errado), mas a alienação, o fanatismo, o consumismo e a corrupção que está por trás. 

Parabéns à Luíza e a equipe que conseguiu fazer um vídeo bem inteligente que, como diz na descrição do YouTube, é o melhor vídeo sobre a copa.




quarta-feira, 18 de junho de 2014

Sites petistas dizem que a mídia é contra futebol. Em que planeta eles vivem?

Os sites petistas, controlados por membros, simpatizantes ou aliados, com raiva de outros meios de comunicação que não os que os apoiam, cometeram o absurdo de difundir que a Grande Mídia estava contra a copa e contra o futebol. Uma declaração pra lé de alienada, louca, desmiolada que mostra que quando há histeria, muitos absurdos, contrários ao que se observa de fato, são ditos, ou melhor, vomitados sem pensar.

Quem liga a TV sabe que a mídia é totalmente a favor da copa. Ela sói fala em copa. A copa é um bom instrumento utilizado pela mídia para manter a população submissa e completamente alheia á realidade. É a mídia que coloca essa falácia de "patriotismo" para que os telespectadores transformem o prazer futebolístico em obrigação cívica e social. E a mídia ganha muito dinheiro com isso, além de aumentar o seu poder diante das massas ingênuas. 

O que o PT e seus amiguinhos blogueiros ditos "progressistas" (mas que defendem o regresso do país, como os seus arqui-inimigos tucanos também defendem, só que de outra maneira) falam é uma gafe tão grande que não é preciso nem ser inteligente para saber que a mídia não só é a favor da copa e do futebol, como está com as rédeas dos eventos. Lembrando que quase todas as redes são filiadas a cartolas (empresários que controlam o futebol) e que a Rede Globo é acionista da CBF.

Aprendam a olhar ao redor, petistas, antes de dizer qualquer besteira.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Copas nos devolvem aos instintos mais primitivos

Toda copa é sempre assim. Embora a mídia trate o evento futebolístico com bastante seriedade, como se uma conquista no futebol fosse trazer dignidade à população brasileira, sabemos muito bem que a publicidade e os meios de comunicação na verdade exploram o instinto coletivo da população, que em tempos de copa, costuma para lizar oi cérebro e dar um verdadeiro show de primitivismo, bem aos moldes dos trogloditas da pré-história.

Na verdade, talvez seja este o verdadeiro motivo que faz com que a copa seja tão desejada pela população: ela dá a oportunidade dos brasileiros satisfazerem seus instintos, sobretudo o da vontade de berrar, gritar, explodir. O futebol é, seguindo as regras sociais a única situação onde se pode gritar histericamente sem que isso seja visto como gafe ou situação de perigo.

Essa vontade de satisfazer instintos é bem coerente ao futebol, praticado por uma maioria de jogadores precariamente educados, com nível de escolaridade baixíssimo e com péssimas referências culturais e senso crítico totalmente nulo. Para um esporte praticado por primitivos, nada melhor que os torcedores ajam como primitivos também, como uma espécie de uma saudação "uga-uga" dos brasileiros aos desintelectualizados jogadores.

Uma sociedade que despreza tudo que é intelectual, que prefere deixar "discussões políticas" para depois e que acha muito chato raciocinar, nada mais adequado retomar os velhos instintos primitivos de quatro em quatro anos (ou diariamente, durante os campeonatos nacionais) da "saudosa" Idade da Pedra, celebrando a nossa verdadeira pátria. Grunhindo histericamente pelo amor a esta caverna chamada "Brasil".

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Um orgasmo coletivo e nada mais

Vendido de difundido de modo insistente como "dever cívico", o futebol em copas é na verdade uma espécie de "confraternização nacional", já que na verdade o evento é utilizado como compromisso social entre aqueles que querem se sentir incluídos na coletividade brasileira.

Essa ânsia pelo futebol em copas é na verdade inútil, uma ilusão comparável a chegada de Papai Noel no natal, com a diferença que até adultos acreditam nesta ilusão. Uma Zona de conforto perfeita, já que mesmo não trazendo benefícios, todos não querem sair dela. Coincidência ou não, os mais acomodados e/ou os menos escolarizados são os que mais gostam do futebol em copas.

Mas depois de uma algazarra de 2 horas de duração na estreia da copa, o Brasil nada mudou. A velha rotina voltou e os velhos problemas também. O empenho de se dedicar totalmente a um campeonato de futebol comprovou a sua ineficácia, servindo muito mais de um catalizador de instintos do que de uma fonte de prazer. É como um orgasmo: dura pouco, não melhora a vida de ninguém e depois que acaba, tudo volta como está. Exatamente como era antes ou em alguns casos, até pior (como nos casos de gravidez indesejada, por exemplo).

E é essa a melhor definição desse fanatismo de copa: um orgasmo coletivo em que quase todos os brasileiros querem participar. Nada tem de esportivo, de cívico e muito menos de "paixão". É puro tesão instintivo, um orgasmo em que muitos preferem gozar junto. Uma grande orgia metida a evento de patriotismo. Amor a pátria? Como se os brasileiros não amam nem a si mesmos?

Só resta saber que tipo de filho nascerá dessa gravidez acidental. Há mais de 60 anos estamos nesse orgasmo crônico e tem nascido cada bebê-monstro...

quinta-feira, 5 de junho de 2014

A incrível sorte dos jogadores de futebol

Realmente é incrível. Não há brasileiro que seja tão sortudo quanto os jogadores de futebol brasileiros. É impressionante a capacidade sem igual das coisas darem certo para os jogadores de futebol., Não acontece nada ruim com eles.

Mesmo quando as coisas parecem dar errado, tudo acaba bem para jogadores de futebol. Se o Neymar estiver andando em uma calçada e eu do outro lado da rua e uma pilastra começar a cair do lado dele, essa mesma pilastra vai se desviar e cair e cima de mim.

Mesmo quando cometem gafes, os jogadores rapidamente são perdoados. A escolaridade baixíssima e o péssimo nível cultural não os impede de serem formadores de opinião, sendo ouvidos pela população como se fossem "sábios". É muito mais fácil uma asneira dita por eles virar lei do que uma ideia coerente dita por um Zé Ninguém.

E nesta copa não está sendo diferente. Amados por todos, principalmente pelas mulheres (conhece algum jogador de futebol famoso que tenha dificuldade de conquistar alguma mulher? Eu não.), todos os olhos e ouvidos estão murados neles, que mesmo burros feito portas, irão espertamente se aproveitar dos momentos para se darem bem e acumularem cada veza mais sorte que os fará vencedores não apenas dentro de campo, mas principalmente fora dele.

Afinal, nada melhor do que ter quase uma população inteira de um país como admirador nada secreto. Nada consegue dar errado com os homens mais amados do país.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...